Image and video hosting by TinyPic />

Boca fechada para obter a cura






A fragilidade de fato "emburrece". Vez em quando estamos fragilizados com algo e encontramos com uma colega de trabalho, com a nossa diarista, uma balconista de loja, a vizinha no elevador, o garçom do restaurante, o porteiro do prédio, enfim, alguém aparece na nossa frente e basta mostrar um sorriso e dar uma brecha, literalmente "vomitamos" nossos sentimentos mais profundos. Chegamos a acreditar que aquela criatura foi enviada por Deus, pois a necessidade de dois ouvidos para nos escutar é tão grande que vemos tal acaso como uma bênção dos céus!

- Ah, estou tão triste, tive uma briga terrível com meu marido, ele fez isso, isso e aquilo... Estou arrasada, não sei o que fazer!

- O salário atrasou, não há previsão de pagamento e não tenho como honrar as contas do mês, estou apavorada!
  
Bênção o que? No nosso momento de extrema carência esquecemos que aqueles dois ouvidos vistos como abençoados vêm acompanhado de uma boca gigante com língua afiada e salivação abundante. A pessoa está se "babando" para saber da nossa vida e o pior, para passar adiante cada detalhe. Tem gente que sobrevive da desgraça dos outros, sendo que inferiorizando alguém é o único jeito de se sentir superior. 

Por isso, se estamos passando por um momento triste, que não sabemos que decisão tomar, que nos sentimos confusas, o melhor a fazer é ficar quieta, longe do mundo.
 
Não consegues controlar a vontade de desabafar e aquela amiga(o) confidente, confiável, tipo irmã, está viajando? Não tens convênio de saúde e nem dinheiro para pagar um terapeuta? Ah, sei lá, então vá até uma igreja, diga que quer falar com o padre ou pastor, e "descarrega" seu turbilhão de emoções, fala tuuudo! E quando se sentir "esvaziada" agradeça, dê as costas e vá pra casa feliz, pois terás a segurança que este homem não publicará no jornal da comunidade tuas fraquezas e muito menos ficará de cochichos nos corredores do teu prédio quando te aproximares. Caso não desejes ir a uma igreja, vá arear uma panela, arrumar os armários, ler um livro, tomar um banho gelado, enfim, faça qualquer coisa que a impeça de sair às ruas e abrir sua vida pessoal a qualquer ser que tenha biótipo/estereótipo de humano, pois nem todos os seres humanos possuem humanidade.
 
Para colocarmos o pé na rua e nos posicionarmos em meio aos transeuntes, temos que estar "em pé", ou seja, inteiros, plenos. E isso vale não somente para fatos infelizes de nossas vidas, pois as mesmas pessoas que se regozijam com as desgraças, obviamente também não suportam a felicidade alheia. Até mesmo um simples projeto de vida, como dizer que estás estudando para um concurso, que foste ao banco se interar de formas de financiamento com o intuito de adquirir um imóvel, que recebeste uma proposta de trabalho fantástica, enfim, qualquer coisa pode causar uma "hemorragia" de veneno a quem fica sabendo dos teus planos. Há quem diga: - Se pensas assim é porque és assim! Tal teoria está errada, pois basta ter o mínimo de conhecimento a respeito do Cosmos para saber da atuação das energias, más ou boas, elas agem.
 
Sou extremamente contra até de contar às pessoas sobre doenças, pois uma conta para a outra: "Fulano está doente"! Assim já se forma a corrente de enfermidade em cima do paciente, corrente de energia em cima da doença. Talvez o número de sessões de quimioterapia numa pessoa com câncer, pudesse ser abreviado se não houvesse tanta divulgação do caso. Até pessoas da família, que ao saber da notícia pegam o telefone e ligam para todos que possuem o mesmo sobrenome, mesmo nem convivendo dizem: "Tenho que avisar o primo Orlando, que a Teresa filha da Josefa está com câncer"! Pode ser primo, mas se não convive não tem amizade e se não tem amizade não tem que saber. Quando divulgas uma moléstia não estás auxiliando em nada, apenas dificultando a cura. Todos os problemas da vida necessitam de serenidade e equilíbrio para serem sanados. Divulgar fatos negativos é propagar a negatividade, ou seja, "dar comidinha para o diabo", incentivar que a coisa ruim sobreviva! E tem parentes que são verdadeiros encostos, vampiros energéticos, dificultam as situações, adoram fazer drama! E vêm com aquele papo de "quero ajudar"! 

Queres ajudar? Então tira essa expressão de velório do teu rosto, porque o enfermo ainda não morreu... Não reproduzas os problemas dos outros, que no fundo sentes prazer em fazê-lo! Porque é bom saber que o moribundo/traído/falido, seja qual for a situação, é outra pessoa e não tu... Confessa! Pares de julgar, reconheças que tua própria vida é cheia de imperfeições... E por fim, cale-se e mantenha-se apenas em oração! Ajudar é bem diferente de "pilhar"!
 
Na Bíblia diz: AMA O PRÓXIMO COMO A TI MESMO! Sim, ama sim, irmãos por parte de Deus e tal, mas abra os olhos, não confie tanto nos "hermanos", nem todos os filhos seguem a orientação do pai biológico, muito menos do PAI MAIOR. As pessoas são a conseqüência de suas experiências, por isso não podemos nem mesmo imaginar quem verdadeiramente são "por dentro".

Posso dizer que já desenvolvi um "vibratômetro" ou "vibrômetro", o "ser" pode chegar com o mais doce sorriso que seu olhar já me diz em que onda ele vibra. Percebendo-o "do bem" me ganha na hora, percebendo-o "do mal" não adianta nem tentar, eu o rejeito para o resto de minha existência. Essa postura não demonstra pretensão ou arrogância e sim que exerço meus direitos de escolha. Graças a Deus é um direito que nos assiste, poder escolher com quem conviver! Por isso não me apego a sobrenome nem laços sanguíneos, partilho minha existência apenas com quem sinto afinidade!

Aprenda a não falar mal de ninguém, muito menos reproduzir os fatos da vida alheia.

Sua vida merece toda sua atenção. O tempo que perdes observando a vida dos outros, poderias estar investindo na sua, concordas?

Se puderes ajudar alguém, ajude, mas se não puderes, pelo menos NÂO ATRAPALHE!


Por  Lu Scheffelbain

Todas as reproduções, por inteiro ou em parte, devem fazer referência 
ao nome da autora Lu Scheffelbain e ao blog http://eulunaluz.blogspot.com/







5 comentários:

Ivone Poemas disse...

Lu!!! Que maravilha! Estou feliz demais por ler aqui um texto seu e muito bom, realista, pois é assim mesmo que muitas pessoas agem, infelizmente!
Parabéns, muito bom!!!
Ivone

LU na LUZ disse...

Amiga Ivone, querida! Esse texto é postagem antiga, já estava no blog, acho que foi umas das primeiras postagens que fiz... Resolvi trazê-lo para frente, ele merece ser carro chefe! hehehe Conteúdo pesado, bem pesado, mas como disseste, realista! Fazer o que? A vida real tem dessas coisas, né?! Bjusssssss E fiquei muito feliz que tu aprovaste minhas idéias! hehehe Bju bju bju

Ivone Poemas disse...

Sabe Lu, eu aprovo tudo o que é verdadeiro, pois as pessoas não podem e não devem fazer ou ser como todos querem que sejam ou que façam somente para viverem bem em sociedade!
Eu também tenho meu "pé atrás" com pessoas como vc descreveu nesse texto, mesmo porque sinto, pressinto assim com vc, as energias e sendo assim é bem melhor ficar atento, pois prudência é o que devemos ter, pois até na bíblia está que o simples passa e sofre as consequências de sua falta de prudência!
Em palavras modernas, ignorância é o que mata, portanto...!!!
Beijos, vá em frente, post mais textos seus, tenho certeza de que tens muitas coisas boas para dizer!!!
Ivone

BRISA disse...

Lu amiga
Amei o texto aqui vc disse tudo.Quando pensamos que as pessoas vão poder de ajudar trata vc como pobre coitado.Parabéns pelo magnífico texto. Bjs um feliz dia para vc, repleto de energia positiva. O melhor é ficar de boca fechada.Com CARINO
Ana Brisa

Nadja disse...

"Posso dizer que já desenvolvi um "vibratômetro" ou "vibrômetro", o "ser" pode chegar com o mais doce sorriso que seu olhar já me diz em que onda ele vibra. Percebendo-o "do bem" me ganha na hora, percebendo-o "do mal" não adianta nem tentar, eu o rejeito para o resto de minha existência. Essa postura não demonstra pretensão ou arrogância e sim que exerço meus direitos de escolha. Graças a Deus é um direito que nos assiste, poder escolher com quem conviver! Por isso não me apego a sobrenome nem laços sanguíneos, partilho minha existência apenas com quem sinto afinidade...!"

Lu Scheffelbain

Uauuu!!!
Sem comentários, pois você disse tudo o que penso, mas nem sempre faço!
Adorei o seu espaço energeticamente maravilhoso, a gente sente pela telinha as boas vibrações e já tô dentro!

Namastê!

Bjksss