Image and video hosting by TinyPic />

Cuide da sua vida







Um grande sábio possuía três filhos jovens, inteligentes e consagrados à sabedoria.

Em certa manhã, eles altercavam a propósito do obstáculo mais difícil no grande caminho da vida.

No auge da discussão, prevendo talvez conseqüências desagradáveis, o genitor benevolente chamou-os a si e confiou-lhes curiosa tarefa.

Iriam os três ao palácio do príncipe governante, conduzindo algumas dádivas que muito lhes honraria o espírito de cordialidade e gentileza.

O primeiro seria o portador de rico vaso de porcelana preciosa.

O segundo levaria uma corça rara.

O terceiro transportaria um bolo primoroso da família.

O trio recebeu a missão com entusiástica promessa de serviço para a pequena viagem de três milhas; no entanto, no meio do caminho, começaram a discutir.

O depositário do vaso não concordou com a maneira pela qual o irmão puxava a corça delicada, e o responsável pelo animal dava instruções ao carregador do bolo, a fim de que não tropeçasse, perdendo o manjar; este último aconselhava o portador do vaso valioso, para que não caísse.

O pequeno séqüito seguia, estrada afora, dificilmente, porquanto cada viajante permanecia atento as obrigações que diziam respeito aos outros, através de observações acaloradas e incessantes.

Em dado momento, o irmão que conduzia o animalzinho esquece a própria tarefa, a fim de consertar a posição da peça de porcelana nos braços do companheiro, e o vaso, premido pelas inquietações de ambos, escorrega, de súbito, para espatifar-se no cascalho.

Com o choque, o distraído orientador da corça perde o governo do animal, que foge espantado.

O carregador do bolo avança para sustar-lhe a fuga, e o bolo se perde totalmente no chão.

Desapontados e irritadiços, os três rapazes voltam a presença do pai,apresentando cada qual a sua queixa de derrota.

O sábio, porém, sorriu e explicou-lhes:

- Aproveitem o ensinamento da estrada. Se cada um de vocês estivesse vigilante na própria tarefa, não colheriam as sombras do fracasso. O mais intrincado problema do mundo, meus filhos, é o de cada um cuidar da sua propria vida, sem intrometer-se na vida alheia. Enquanto cogitamos de responsabilidades que competem aos outros, as nossas viverão esquecidas.


4 comentários:

Ivone Poemas disse...

Sabedoria pura essa de cada qual cuidar de si,pois assim que saímos do nosso "eixo" como costumo dizer, por estar nos preocupando com o que faz o outro que a ele, somente a ele compete, todos poderiam ser bem sucedidos!
Abraços amiga, linda postagem,
Ivone poemas
henristo.blogspot.com

Eu LU na LUZ disse...

Ivone, amiga mais que querida! Preocupar-se com entes queridos é um carma, por mais que tenhamos conhecimento nós caímos nessa cilada e nos pegamos com aquele martelinho batendo na cabeça, a dita preocupação, mas isso é até tolerável... O que não tolero é gente que parece um radar, que tem por hábito cuidar da vida alheia, entende? Tais pessoas desperdiçam energias preciosas, se focassem suas forças em suas próprias vidas seriam saudáveis e felizes, se libertariam deste hábito doentio! Beijão pra ti, amiga Ivone do coração de ouro!

Ivone Poemas disse...

Sim é isso mesmo, sabe amiga, depois que li todas as suas palavras de ajuda me deu um clarão tão grande, me fez sentir livre, sim, livre, pois quando eu sinto essas coisas ruins me sinto presa, a prisão da alma dói e escraviza e pessoas que percebem isso passam a nos "sugar", estou bem melhor, muito mesmo!!!
As coisas estão indo do jeito que tem de ser, portanto eu não vou mais sofrer,continuo mandando energias boas e seja tudo como tiver de ser!
Rimou, eu viciei em rimas, percebeu?
Abraços amiga, te amo muito viu!!!
Ivone poemas
henristo.blogspot.com

Eu LU na LUZ disse...

É bem isso, nós interrompemos o fluxo da vida, estagnamos energias, enfim, nos postamos estáticos agarrados em preocupações onde a solução das mesmas não são de nossa alçada! Acrescentaríamos mais em nossas vidas e na de nossos entes que nos causam preocupação se elevarmos nossos pensamentos com equilíbrio e otimismo! Porém muitas vezes nos deixamos abater, entramos na atmosfera do desespero, entramos na onda de toda aquela gente que está próximo a nós e nos sentimos "sugados", enfraquecidos e impotentes... Mas quando isso ocorre temos logo que dar uma basta e virar o jogo, afinal, estamos neste plano para experienciar e todos, incluindo nós mesmos, passamos pelo que temos que passar... A vitória ou derrota é individual, depende unicamente do ser que está passando pela tal experiência/luta/guerra! Beijão pra ti, amiga Ivone!