Image and video hosting by TinyPic />

QUEM É VOCÊ?






A mente é passado, é memória, todas as experiências acumuladas, num certo sentido. Tudo o que você já fez, tudo o que já pensou, tudo o que já desejou, tudo o que já sonhou – tudo, seu passado inteiro, sua memória – mente é memória. E, a menos que se livre da memória, você não conseguirá dominar a mente.

Como se livrar da memória? Ela está sempre ali, seguindo você. Na verdade, você é a memória, então como se livrar dela? Quem é você sem as suas lembranças? Quando eu pergunto “Quem é você?”, você me diz seu nome – isso é uma lembrança. Seus pais lhe deram um nome um tempo atrás. Eu pergunto “Quem é você?”  e você me fala de sua família, do seu pai, da sua mãe – isso é uma lembrança. Eu pergunto “Quem é você?” e você me conta o que estudou, seu nível de instrução, que fez mestrado em Artes ou que tem doutorado ou que é engenheiro ou arquiteto. Isso é uma lembrança.

Quando eu pergunto “Quem é você?”, se você de fato olhar para dentro, só terá uma resposta: “Não sei”. Tudo o que disser será apenas uma lembrança, não você de verdade. A única resposta verdadeira, autêntica, só pode ser “Não sei”, pois conhecer a si próprio é a última coisa que você faz. Eu posso dizer quem sou, mas não digo. Você não pode dizer quem é, mas se apressa em dar a resposta. Aqueles que sabem quem são guardam silêncio sobre isso. Pois, se toda a memória for descartada e toda a linguagem for descartada, então quem eu sou não pode ser dito. Eu posso olhar dentro de você, posso dar a você um gesto; posso ficar com você, com todo o meu ser – essa é a minha resposta.

Mas a resposta não pode ser expressa em palavras, pois tudo que é expresso em palavras faz parte da memória, da mente, não da consciência.

Como se livrar das lembranças? Observe-as, testemunhe-as. E lembre-se sempre: “Isso aconteceu comigo, mas isso não sou eu.” É claro que você nasceu numa determinada família, mas isso não é você; aconteceu com você, é um acontecimento externo a você. Alguém lhe deu um nome; você o tem usado, mas ele não é você. É claro que você tem uma forma, mas a forma não é você; ela é só a casa em que por acaso você está. A forma é só o corpo em que por acaso você está. E o corpo lhe foi dado por seus pais – é uma dádiva, mas não é você.

Observe e tenha discernimento. Isso é o que no Oriente chamam de vivek, discernimento - você usa o tempo todo a sua capacidade de discernir. Continue fazendo isso – chegará um momento em que você terá eliminado tudo o que não é você. De repente, nesse estado, você se olha pela primeira vez e encontra seu próprio ser. Continue jogando fora todas as identidades que não são você – a família, o corpo, a mente. Nesse vazio, quando tiver jogado fora tudo o que não for você, de repente seu ser vem à tona. Pela primeira vez você encontra si mesmo, e esse encontro passa a ser o domínio.

Livro: Consciência – A Chave para Viver em Equilíbrio – Osho.



3 comentários:

MA FERREIRA disse...

LU...

Smos a soma de tantas coisa...
desta vida e as outras...

Mas o que não podemos esquecer é que somos seres perfeitos.....e que a nossa sombra não é a nossa essencia.

Exercitar as virtudes é procurar de alguma maneira compensar as nossas
fraquezas.

E lembrar sempre que o outro..tb tem as suas experiencias, portanto cada um é um ser unico, que esta nesta jornada para crescer e aprender.

Um beijinho... Om Shanti!!

Eu LU na LUZ disse...

MA... Sim, todos somos seres perfeitos e únicos! E apesar de vivermos no coletivo nossa caminhada/evolução é individual! Beijos pra ti, minha querida... Om Shanti!

Ivone Poemas disse...

Lu, adorei ler esse texto, se eu te contar que um dos meus guias espirituais já me disse isso nem sei se acreditarás, portanto é bem assim, quando duas informações que seja, pelo menos duas que se pareçam nos faz acreditar que seja mesmo a verdade!
Eu aprendi isso já faz muito tempo, sempre que saio do "meu eu" acontece um acidente em minha vida, já sofri muitos, hoje não, estou bem centrada e posso dizer que vivo mesmo em calma, hoje digo que aos poucos me encontro, ainda estou nessa fase, portanto viver é mesmo uma grande benção, estou vivendo!!!
Abraços amiga e que bom que a Vida nos colocou uma no caminho da outra, eu agradeço sempre tudo de bom que me acontece!
Trocas, é isso trocar ensinamentos!