Image and video hosting by TinyPic />

O viajante solitário




O viajante sentia-se solitário ao sair de uma missa.
De repente, foi abordado por um amigo: “preciso muito falar com você”, ele disse.
O viajante viu naquele encontro um sinal, e ficou tão entusiasmado que começou a conversar sobre tudo que considerava importante. Falou das bênçãos de Deus, de amor, disse que o amigo era um sinal de seu anjo, pois se sentia solitário minutos atrás, e agora tinha companhia.
O outro escutou tudo em silêncio, agradeceu, e foi embora.
Em vez de alegria, o viajante sentiu-se mais solitário que nunca. Mais tarde se deu conta. No seu entusiasmo, não tinha dado atenção ao pedido daquele amigo: falar.
O viajante olhou o chão, e viu suas palavras jogadas na calçada – porque o universo estava querendo outra coisa naquela hora.

Autor: Paulo Coelho


2 comentários:

Ivone Poemas disse...

Lu, que triste né quando se procura alguém que possa nos ouvir e perceber que não tem isso, ou às vezes não tem esse alguém.
Esse texto é mesmo de nos tocar, pois antes de ficarmos a falar devemos primeiro tentar ouvir.
Sempre há quem precise mais, sempre!!!
Abraços amiga.
Ivone

Eu LU na LUZ disse...

Ivone, muito triste sim! Temos que estar atentos às necessidades de quem nos cerca, de quem amamos e mesmo de quem simplesmente se aproxima. Vez em quando a pessoa só precisa de alguém que a escute... Quantas vezes nós mesmos sentimos vontade de desabafar?! Bjus